​VOCÊ ABRAÇA QUEM VOCÊ É?

Você aceita quem você é? Com sua história, seus defeitos, seus parentes doidos e suas amizades? Você aceita que a sua realidade não é a mesma do outro, mas que isso é ok?  Muitas pessoas não se aceitam e outras não aceitam os próximos. Por isso, tem muita gente por aí que fica tentando ser o que não é. Prefere colocar uma fantasia aceitável do que colocar para jogo quem elas são.

É preciso ter coragem para admitir quem você é! É preciso ter muita coragem para abraçar sua história, por mais turbulenta ela seja ou por mais que as pessoas a julguem. Ser quem você é e ter orgulho disso é um papel que a maioria das pessoas não sabe interpretar! Admitir quem você é e admitir até a bagagem que você leva (histórias, amigos, erros..) é admitir que talvez você não vá ser querida por todos. E que talvez a maioria vá te julgar de alguma forma.
Demorei em abraçar quem eu sou. Abraçar que eu, muitas vezes, prefiro ficar em casa a ir para a balada. Abraçar que eu não sou a típica jovem e que talvez eu seja fresca para várias coisas. Abraçar que eu não gosto de cerveja. Abraçar que eu não tenho que ter vergonha das oportunidades que conquistei. Abraçar que eu prefiro cabelo curto a longo. Abraçar que não tenho o corpo perfeito e não sou a mais bonita de todas. Mas tudo bem, porque essa sou eu e tenho muito que me orgulhar. Quando abracei todas as minhas qualidades, meus defeitos, minha história de vida, pude perceber que quando você se abraça, você não precisa do abraço de ninguém.

Anúncios

Ninguém é obrigado a gostar da gente {…}

Ultimamente tenho aprendido muito sobre isto.

Por mais que façamos coisas extraordinárias ao nosso ver, que tenhamos qualidades, existem relacionamentos em que jamais seremos suficientes para a outra pessoa, o que gera uma antipatia, em mundo com bilhões de pessoas é natural que você esbarre em alguém que realmente não vai gostar de você (não importa o que você faça) e quer saber? Está tudo bem!  O que nunca se pode abrir mão é de  ser honesto, permanecer reto e íntegro e acreditando que apesar dos defeitos (que alguém não gosta) você tem QUALIDADES (que inúmeras pessoas gostam). 

🌷

Andressa Miranda

Porque ninguém fica onde não existe reciprocidade!

A ideia de que possuímos certas coisas e determinadas pessoas como se fossem nossas é uma das maiores razões do nosso sofrimento. Muitos de nós achamos que o parceiro, o amigo são posses, são nossos por direito e ninguém há de mudar isso. Engano seu, engano nosso.
Aquilo que temos dentro de nós, que nasce conosco, nossa mente, nossos sentimentos é o que é realmente é nosso. Tudo e todos que estão junto de nós ali permanecerão enquanto for propício, enquanto estiver servindo a interesses, sejam eles de que natureza forem, mesmo que por amor. Como dizem, nada é, tudo está.
Muitas vezes, nosso amor vai embora porque não havia mais nada de bom aqui conosco e algo o interessou em outra morada. Nossos amigos se afastam porque a vida em si distancia as pessoas que não se esforçam por manter laços. Pode ser nossa culpa, pode não ser, o que importa é entender que não temos controle ou poder algum sobre o que está fora de nós. Ou regamos, cuidamos e nos importamos, ou não manteremos junto aquilo que for mais precioso e quem faz a diferença em nossas vidas, porque ninguém fica onde não existe reciprocidade.
Portanto, cabe-nos, sermos o melhor que pudermos, dar o que temos de bom, compartilhar o que for mais verdadeiro, onde e com quem estivermos, sem achar que somos donos do que nos rodeia. Assim, nos momentos em que perdermos o que parecia certo, teremos consciência de que fizemos o que tinha de ser feito.

​Qual a sua inspiração?

O que inspira você?

De onde vem essa inspiração?

Quais são as coisas sem as quais não conseguiria viver?
Se pararmos para avaliarmos, está faltando inspiração nas relações humanas. Falta aquela vontade de nos movermos, a identificação do ser humano com coisas que na verdade, representa ele mesmo. Faltam aquelas coisas que parecem ser o fôlego de vida, quando, de repente, respiramos fundo sentindo que, por aquilo, exatamente aquilo, vale a pena estar vivo.

Em nossas relações não nos inspiramos uns nos outros. Nossos amigos deixaram de ser grandes motivadores com raríssima exceções, o que temos hoje são concorrentes, pessoas que nos instigam, muitas vezes, a sermos melhores por meio da competição. Deixamos de preservar e dar valor aos pequenos gestos, quando não os estranhamos. Gentileza pode soar falsa, patética, arcaica, parece não ser assim, tão necessária.
Além de pessoas, o que é mais capaz de inspirar você?

Um filme, uma música, um poema, o seu dom? Qual o seu dom? Comer, o que pensa de comer? Uma roupa nova? Um novo amor? Uma carta? Um pensamento novo, uma nova ideia? A mudança, você gosta de mudança? De onde vem a inspiração?

O que inspiração tem a ver com felicidade?
Diante de uma vida tão escassa nos inspiramos pouco. Sentimos pouco aquela sensação boa diante de coisas que consideramos incríveis. As coisas têm o exato valor que damos a elas.
Vivemos cercados de tragédias, notícias e acontecimentos ruins que fecham o mundo em um lugar de caos. Entretanto devemos nos cercar de coisas boas capazes de nos inspirar. Não podemos fazer tudo, mas inspirados, com o peito cheio de algo maior, de gratidão a vida, de gratidão às pequenas coisas que nos fazem melhores, como sorrisos, presentes, ‘lembrei de você’, ‘guardei pra você’, ‘tome é seu’, ‘estava te esperando’, ‘que bom que você veio’… faremos a vida mais doce, marcaremos a vida dos que cruzarem nossos caminhos, seremos vitrines de inspiração, pessoas das quais, com orgulho, a história se lembrará.

Não se torne aquilo que te feriu!

DCNXUclWAAAfm7dA dor fortalece e a tristeza nos serve como lição de como se levantar, seguindo sempre em frente. É preciso, pois, tornar-se mais gente a cada queda, a cada lágrima, caminhando na direção contrária de tudo o que nos feriu.

Aprendi que se nos derem as costas, continuemos olhando nos olhos. Se nos oferecerem o vazio, continuemos distribuindo imensidão. Se nos ferirem com palavras, continuemos elogiando quem merece. Se nos apresentarem máscaras, continuemos sendo quem somos, pois ninguém destrói e retira aqui de dentro os nossos sonhos mais verdadeiros, a nossa capacidade de amar com sinceridade e transparência.
Há quem se mantenha impassível, incapaz de mudar, teimando em manter-se imutável, lutando contra as lições que devemos colher diariamente, por conta da semeadura equivocada que operamos lá atrás. E resistir à mudança, a novos rumos, ao oxigenar de idéias, ao repensar o que acumulamos, de forma reflexiva, acaba por nos endurecer, tornando-nos insensíveis, tornando-nos o espelho de tudo e de todos que nos machucaram.
A todo momento iremos ser testados, questionados, feridos e derrubados pela pequenez das misérias alheias, entretanto, caso consigamos nos reerguer com força e dignidade, estaremos cada vez mais prontos para desfrutar do amor que tivermos semeado, porque não deixamos de acreditar em nós mesmos.

É preciso coragem sempre! Agir com sinceridade e transparência diante das quedas e continuar acreditando sempre (…)

Transborde amor, quem não souber nadar, que afunde sozinho”.